Bruna Furlan distribui lanche ao povão em maternal de Barueri


Em inauguração de maternal, filha do prefeito pegou a bandeja e distribuiu lanche dos políticos ao público."Fui servir quem realmente é autoridade: a população", postou em sua rede social

Quem participou da inauguração do maternal do Parque Imperial, em Barueri, no último sábado, se deparou com cena, no mínimo, inusitada.

Com uma bandeja na mão, a deputada federal Bruna Furlan, filha do prefeito Rubens Furlan, servia lanches às pessoas que aguardavam a cerimônia. Em sua página, no Facebook, ela explicou a atitude. Ao ser informada de que haveria uma receptação às autoridades, na sala da diretoria, decidiu servir a quem realmente é autoridade. “Quando cheguei na inauguração, me disseram: Bruna, tem um lanche para as autoridades na sala da diretora. Eu respondi: ótimo, então vou lá buscar e servir para quem realmente é autoridade: a população”, postou.

A deputada chegou a Barueri vinda direto do Haiti, onde participou, no dia 31, ao lado de senador Fernando Collor, da cerimônia de despedida das tropas do exército brasileiro que participaram de missão de estabilização da ONU no país. Bruna é presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN) da Câmara Federa e representou a Casa na cerimônia, enquanto Collor representou o Senado.

“Os nossos militares realizaram um trabalho excepcional que não se restringiu à manutenção da paz e da ordem, mas também uma atuação fortemente humanitária e de resgate da dignidade dos haitianos”, afirmou.

Ela também parabenizou os mais de 37 mil militares das Forças Armadas que serviram na missão desde 2004 e recordou a atuação dos militares em momentos de grandes catástrofes naturais no Haiti, como o terremoto de 2010 e, mais recentemente, a passagem do Furacão Matthew.

“As nossas Forças Armadas implementaram um novo modelo de Missão de Paz, se aproximaram da população, cuidaram de questões que iam muito além de suas obrigações e encarnaram o verdadeiro espírito humano de solidariedade e cooperação. E, com certeza, o Brasil não abandonará o Haiti e seguirá trabalhando em prol da paz e do desenvolvimento deste povo”, afirmou.