Coca-Cola pagará US$ 1 milhão para quem encontrar substituto saudável ao açúcar


Diminuição no consumo e mudanças comportamentais motivaram a empresa a buscar alternativa ao açúcar. Especialistas dizem que valor do prêmio é baixo 

A Coca-Cola lançou um desafio para pesquisadores e cientistas tentarem solucionar o maior problema da empresa: substituir o açúcar de suas bebidas. A companhia dará o prêmio de US$ 1 milhão, cerca de R$ 3,2 milhões, para quem conseguir ajudá-la a resolver essa questão.

Em nota oficial, a maior fabricante de refrigerantes do mundo especificou que está “buscando encontrar um composto de origem natural, seguro, com baixa ou sem calorias e que tenha o gosto de açúcar quando usado em bebidas e alimentos”.

O concurso, chamado de “The Coca-Cola Company Sweetener Challenge”(desafio adoçante da Coca-Cola, em tradução livre), tem o edital bem restrito sobre a composição da solução. “A molécula não pode ser a base de estévia ou fruta-dos-monges e nem extraída de alguma espécie de planta protegida”, segundo as regras.

Além disso, a empresa aconselha “expressamente que os participantes não provem ou consumam suas substâncias enquanto estiverem fazendo os testes por terem uma toxicidade desconhecida e não serem aprovadas para consumo humano”.

“A Coca-Cola afirma que está buscando uma molécula ou composto que tenha dados científicos para sustentar a segurança para consumo humano durante um período prolongado”, diz o regulamento.

O desafio está sendo liderado pela equipe de tecnologia da Coca-Cola. "Esse desafio reflete nosso desejo de fazer as bebidas que nossos consumidores desejam e também a nossa vontade de olhar para além das paredes da nossa empresa para trazer alternativas ao açúcar”, afirmou o diretor de inovação da Coca-Cola, Robert Long.

As inscrições para o desafio podem ser feitas até 18 de janeiro de 2018 às 17h. Os finalistas serão anunciados em abril e o vencedor receberá o prêmio em 3 de outubro do ano que vem.

Embora o prêmio em dinheiro seja uma quantia alta, alguns especialistas acreditam que é realmente pouco para resolver um problema tão grande. É o caso de Ross Colbert, analista do setor de bebidas do Rabobank. Em entrevista à Quartz, ele afirmou que o prêmio de US$ 1 milhão é baixo e quem encontrar a solução pode ganhar bem mais que isso.

Segundo o site, os americanos bebem 19% menos refrigerantes do que há 15 anos, o que gera um impacto no mercado de bebidas do país que inclui a gigante Coca-Cola. Por isso, o concurso tem como objetivo lançar um produto mais saudável e que reconquiste os consumidores de refrigerantes.
G.P