Vizinhos de hospital para bichos reclamam de sujeira


Moradores e comerciantes do entorno do Hospital Veterinário Público, no Tatuapé (zona leste), reclamam do barulho e da sujeira deixada por donos dos bichos, que madrugam na rua da unidade para conseguir uma senha de atendimento.
O serviço, que é bem avaliado, deve mudar de endereço pela terceira vez em cinco anos.
A rua onde o hospital funciona é residencial.
Na porta, uma placa pede aos donos que recolham a sujeira dos bichos, que não joguem lixo no chão e respeitem a fila.
Há lixeiras azuis e caixas distribuídas ao longo da via, colocadas pela Anclivepa, a entidade responsável pelo hospital, em parceria com a Prefeitura de São Paulo.
Mesmo assim, ontem havia rastros de fezes na calçada e na rua.
A cada meia hora, um funcionário da unidade limpava as vias do entorno do hospital, que tinha cerca de 200 pessoas aguardando na fila.
A distribuição das senhas começa às 6h.
Resposta
O diretor da Anclivepa, Lucas Freitas, afirma que orienta os donos de animais a chegar aos hospitais às 6h, quando as senhas começam a ser entregues, e não antes.
Sobre a sujeira, diz que há funcionários para fazer a limpeza das ruas e calçadas.
"Também colocamos as lixeiras para evitar que haja lixo na rua", afirma. Ele confirma que a unidade do Tatuapé vai mudar de endereço, entre agosto e setembro.
A Secretaria Municipal da Saúde, da gestão João Doria (PSDB), afirma que a Anclivepa "orienta os proprietários sobre a importância de manter a higiene no local e a obrigatoriedade de cada indivíduo na limpeza das fezes do seu animal".
Segundo a prefeitura, as calçadas em frente aos hospitais são varridas pelo menos duas vezes por semana.
Os locais serão vistoriados para verificar a necessidade de instalação de lixeiras. A prefeitura repassa R$ 900 mil à entidade ao mês.
Agora SP