Crise faz iogurte sumir da geladeira dos brasileiros


Símbolo do aumento do poder de compra nos últimos anos, o iogurte já não é tão frequente na geladeira de muitos brasileiros –entre eles, a aposentada Irene Miranda da Silva, 74 anos.
Uma pesquisa sobre hábitos de consumo feita pela Kantar Worldpanel entre abril de 2016 e março deste ano mostra que o produto é um dos itens cujas vendas mais caram nesses tempos de crise e retração econômica.
"Eu comprava iogurte de uma marca mais cara e com mais frequência. Nos últimos meses, troquei por uma marca mais barata e passei a comprar menos vezes", conta Irene, que diz ser bastante criteriosa na hora de fazer compras, para conseguir viver com a aposentadoria de um salário mínimo –R$ 937.
"Costumo pesquisar preços em supermercados diferentes e, em muitos casos, compro produtos de marcas mais baratas. Recentemente descobri uma marca de feijão que é boa e mais barata. Também diminuí o consumo de queijos e troquei as latas de atum por sardinha.