Gestão Doria vai acabar com pronto-atendimento em AMA


A gestão do prefeito João Doria (PSDB) anunciou ontem uma readequação de todas as 900 unidades de saúde que integram a rede pública municipal de atenção básica.
O objetivo, diz a gestão tucana, é que em até dois anos o atendimento seja feito como o previsto no SUS (Sistema Único de Saúde), ou seja, de acordo com a complexidade da saúde do paciente.
As AMAs serão as unidades mais afetadas, conforme revelou reportagem publicada pelo Agora no último dia 21.
Segundo o secretário municipal de Saúde, Wilson Pollara, elas deixarão de ser chamadas assim e serão transformadas em outras unidades, como UPAs e UBSs.
"Hoje nós temos em São Paulo uma sopa de letrinhas. Os serviços foram criados aleatoriamente sem um estudo da população. O que nós vamos fazer é que cada pessoa, em cada bairro, vai ter que ter a sua UBS, a sua UPA e seu centro de especialidades médicas", disse Pollara.
Agora SP