Vereadores aprovam reajuste de 6,29% aos funcionários da Câmara


Presidente da Câmara, vereador Lindoso, prometeu avaliar concessão do vale alimentação. Aumento atinge os 61 efetivos e 336 comissionados. No ano passado os servidores não tiveram reajuste


Presidente da Câmara de Osasco, vereador Lindoso (PSDB), anunciou reajuste para os servidores da Casa. De acordo com ele, os funcionários do legislativo terão seus salários reajustados de acordo com a inflação medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). O tucano ainda prometeu avaliar a implantação do vale alimentação. Lindoso abordou o tema já ao final da sessão de expediente.

De acordo com ele, o percentual de reajuste será de 6,29% equivalente à inflação acumulada em 2016. O presidente da Câmara explicou ainda que a medida atingirá todos os funcionários da Casa, o que beneficiará, inclusive, os servidores comissionados. Hoje, a Câmara conta com 336 funcionários em comissão. Antes da convocação de 14 concursados, o legislativo tinha apenas 47 efetivos. A medida, porém, não atinge os vencimentos dos 21 vereadores.

O projeto de reajuste ainda não foi protocolado, mas deve ser votado ainda neste semestre. Como a data base de reajuste dos salários dos servidores é março, Lindoso acredita que não precisará conceder pagamento retroativo. Segundo ele, há consenso entre os vereadores para concessão do benefício, o que acelerará a votação no plenário.

“O reajuste será aplicado daqui para frente. A data base é março, então a gente fechou em março. Fizemos o estudo do impacto orçamentário financeiro e foi permitido que a gente pudesse dar esse reajuste para eles. No ano passado os servidores não tiveram reajuste”, explicou.

Lindoso não soube explicar, no entanto, o impacto que o reajuste terá na folha de pagamento da Câmara, mas segundo ele “não compromete tanto porque a gente tem um limite. Existe a Lei de Responsabilidade Fiscal da qual eu sou acometido diretamente caso eu extrapole e isso não vai acontecer. Fiquei mais tranquilo”, finalizou. 
Fonte:Diário de Osasco