Polícia de SP poderá pedir bloqueio de celulares roubados a operadoras


A Polícia Civil de São Paulo vai poder pedir a partir deste ano o bloqueio dos celulares roubados e furtados no estado. Atualmente, as vítimas donas dos aparelhos é que fazem os pedidos de bloqueio às operadoras. De acordo com o SPTV, a resolução será publicada no Diário Oficial. O objetivo da medida, segundo a reportagem, é impedir que os aparelhos levados pelos criminosos também sejam usados.

A decisão foi divulgada à imprensa nesta sexta-feira (6) na sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP). Representantes da pasta e das operadoras se reuniram no prédio, no Centro da capital paulista para formalizar o acordo.

De acordo com a pasta, a vítima que tiver o aparelho levado poderá autorizar a polícia a pedir a operadora o bloqueio do telefone. Para isso, será preciso informar o número de indentificação do celular, chamado de Imei.

A autoridade policial, requisitará o imediato bloqueio do aparelho furtado ou roubado. Atualmente o dono do celular que faz o pedido para a operadora.

O Imei é uma espécie de Registro Geral (RG) do aparelho. Seu número geralmente está na caixa do telefone. Por isso é importante anotá-lo.

Quem ainda não tem o número do Imei pode descobri-lo pelo próprio celular. Para isso, basta digitar *#06# no teclado, que a identificação irá aparecer na tela. A polícia recomenda guardar esse código em local seguro. Só com ele, as operadoras conseguem fazer o bloqueio do aparelho.

Pelos celulares, pessoas ouvem músicas, mandam mensagens, batem papo. Alguns aparelhos mais modernos são mais caros. A polícia não tem números específicos de roubos de celular, mas calcula que em 2014, os casos aumentaram quase 150 % em todo estado.

Para roubarem ou furtarem os aparelhos, os criminosos usam até bicicletas. A displicência dos donos de celulares com os telefones também contribui para ação dos criminosos.

Por meio de nota, a SSP informou que medida visa "garantir o bloqueio efetivo dos celulares furtados e roubados, impedindo sua utilização e comercialização."

Ainda segundo a pasta, "as ocorrências com celulares foram um dos principais fatores que resultaram, no estado, no crescimento de 20,6% dos roubos de 2013 para 2014. Especificamente, os roubos de celulares cresceram 149,59%."
As informações são do G1