Bruna e Prascidelli tomam posse no domingo


Em lados opostos na Câmara Federal, os deputados Valmir Prascidelli (PT) e Bruna Furlan (PSDB) serão os dois únicos deputados federais oriundos da Região Oeste da Grande São Paulo a tomar posse no próximo domingo, 1º de fevereiro, para o mandato de 2015 a 2019.
"Claro que a expectativa é grande, é um desafio enorme ser parlamentar no Brasil e trabalhar com temas mais complexos e polêmicos possíveis. É uma honra muito grande e estou animado nesse sentido", declarou Prascidelli ao Diário da Região na manhã de ontem, 28. Esse será o primeiro mandato do petista na Câmara Federal, até então, ele ocupava exclusivamente a função de vice-prefeito da cidade de Osasco.

Já no caso de Bruna Furlan, a deputada iniciará o seu segundo mandato. A grande mudança é no tamanho das bancadas que os dois parlamentares irão encontrar daqui para frente. Na atual legislatura que se encerra nesta semana, o PT mantém seu grupo de 85 deputados e passará para 69. 


Contudo, esse número será reduzido posteriormente. Desses 69 deputados petistas eleitos, seis deles aceitaram convites para assumir outros cargos no governo federal ou em secretarias estaduais, sendo substituídos por suplentes de outros partidos. Com isso, a bancada do PT totalizará 63 deputados, sendo superada pelo grupo do PMDB, que terá disponível 66 parlamentares.

O caso de maior notoriedade é de Patrus Ananias (MG) que eleito em outubro, ficou com o
Ministério do Desenvolvimento Agrário. Diferente dos rivais petistas, o PSDB terá aumento em sua bancada. Os tucanos mantêm 44 deputados, mas a partir de domingo, serão 54. Após o pleito de outubro, dois deles assumiram cargos no governo de São Paulo a convite do governador Geraldo Alckmin. Mas ao contrário do PT, os suplentes dos tucanos são do mesmo partido. Com isso, o contraste de parlamentares dos dois partidos na Câmara passa a ser de 41 para apenas nove deputados.

Cada uma das bancadas na Câmara Federal deverá escolher um líder para representá-las. No caso do PT, a sigla fechou acordo para que Sibá Machado (AC) seja o líder deste ano. "Estamos trabalhando pela indicação do Sibá Machado para ele ser o próximo líder. Temos outros nomes, mas tudo indica que nos próximos dias definiremos o nome dele", confirma Prascidelli. Até o momento, a legenda na Câmara é representada pelo deputado Vicentinho (SP).



O PSDB tem Carlos Sampaio (SP) como favorito. Durante uma reunião realizada na última segunda-feira, 26, ele foi escolhido pelo grupo de deputados tucanos de São Paulo como o indicado para liderar a bancada do PSDB. Todavia, outros quatro estão de olho no posto. Antonio Imbassahy (BA) é o líder do partido até domingo. A solenidade de posse está marcada para as 10h no plenário Ulysses Guimarães. Depois de iniciada a sessão, será feita a leitura do juramento e cada um dos 513 deputados será chamado para prometer, entre outros pontos, cumprir a Constituição Federal e respeitar as leis.

Além da posse, a expectativa é pela escolha do novo presidente da Casa no mesmo dia às 18h. Concorrem à vaga os deputados Arlindo Chinaglia (PT - SP), Chico Alencar (PSOL - RJ), Eduardo Cunha (PMDB - RJ) e Júlio Delgado (PSB - MG). Cunha segue como favorito na corrida pelo posto de presidente e conta, inclusive, com simpatia de integrantes do PSDB. Além do presidente, também serão escolhidos os membros da Mesa Diretora para o biênio 2015 – 2016. Serão eleitos dois vice-presidentes e quatro secretários com quatro suplentes. O candidato a presidente será eleito em primeiro turno caso conquiste maioria absoluta, ou seja, 257 votos. Se não for possível, a eleição irá para o segundo turno entre os dois mais votados.