Comissão vai fiscalizar situação da Lagoa de Carapicuíba


A Câmara Municipal de Barueri criou, na sessão de terça-feira, 12, uma Comissão de Assuntos Relevantes para a apuração e estudo geral da situação da Lagoa de Carapicuíba que, apesar do nome, tem 70% de sua área situada em território barueriense. A comissão será presidida pelo vereador Dr. Junior Munhoz (PRP), e terá outros quatro membros, escolhidos por sorteio: Maria Evangelista (DEM), Zetti Bombeirinho (SDD), Toninho Furlan (PMDB) e Zé Baiano (SDD).

O grupo terá a função de investigar a suspeita de que a Lagoa de Carapicuíba esteja sendo utilizada como local de descarte irregular de resíduos.
“Recebemos reclamações sobre a lagoa desde o ano passado. Já estive no local algumas vezes e conversei com moradores da região e com caminhoneiros, além da administração da lagoa. Estou juntando documentos há muito tempo e descobri que tem muita coisa errada”, relatou Dr. Junior Munhoz.


De acordo com o vereador, a empresa que administra a Lagoa de Carapicuíba não recolhe corretamente o ISS (Imposto Sobre Serviços) para o município de Barueri. “Entram de 200 a 300 caminhões por dia no local e eles pagam imposto só de 50. Estão sonegando”, contestou o parlamentar.


Outra suspeita levantada pelo vereador dá conta de supostos descartes de material hospitalar na Lagoa de Carapicuíba, o que seria ilegal. “Esse tipo de lixo deve ter destinação específica”, lembra Munhoz. “Estão fazendo uma obra de aterramento naquele local, mas sem que haja um projeto aprovado pela Prefeitura. Temos que investigar tudo isso a fundo”, resumiu.


A Comissão de Assuntos Relevantes terá seis meses para concluir os trabalhos e emitir um parecer sobre a situação da lagoa.