Carlos Aimar é preso após denúncias de fraudes em licitação


O ex-prefeito de Araçariguama está preso na Cadeia Pública de São Roque. Na ação da Polícia Civil o ex-prefeito de Mairinque também foi preso 

A Polícia Civil de Sorocaba anunciou, na manhã de ontem, a prisão de oito envolvidos em um esquema de fraudes em processos de licitação. Dentre os detidos estão os ex-prefeitos de Araçariguama, Carlos Aimar (PSL) e Dennys Veneri (PTB), de Mairinque. Os dois são acusados de integrarem uma quadrilha que fraudava licitações durante suas gestões.

Por volta de 6h da manhã, os policias se dirigiram às residências dos suspeitos com os mandados de prisão em mãos. Os dois estão presos temporariamente na Cadeia Pública de São Roque. A prisão temporária tem validade de apenas cinco dias, mas pode ser prorrogada por mais cinco, justamente o tempo previsto pela polícia para conclusão do inquérito. Mesmo assim a polícia já estuda a possibilidade de pedir a prisão preventiva dos dois ex-prefeitos e dos demais envolvidos no inquérito.

De acordo com informações fornecidas pelo delegado seccional de Sorocaba, Marcelo Carriel, a prisão dos acusados é resultado de investigações da Polícia Civil, que já duram 11 meses, realizada por meio de interceptações telefônicas, quebra de sigilo fiscal e bancário dos suspeitos.

“[Com a investigação] se constatou o vínculo entre as pessoas que foram presas, por isso também o crime de formação de quadrilha. Essas pessoas fraudavam várias licitações junto às prefeituras e criavam contratos de empresas fictícias para conseguirem contratos juntos a essas mesmas prefeituras”, afirmou o delegado seccional em entrevista a TV TEM de Sorocaba.

O inquérito ainda em andamento deve apontar um desvio de verbas dos cofres públicos no valor aproximado de R$2 milhões. Além do crime de fraudes nas licitações, os indiciados deverão responder pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, formação de quadrilha, falsidade ideológica, tráfico de influência, lavagem de dinheiro e peculato. Caso a prisão preventiva de Aimar e Veneri seja decretada, os dois podem responder ao processo na prisão.