Toninho Furlan se diz favorável a bons projetos, inclusive os de Gil Arantes


Visto como a principal figura de oposição na Câmara Municipal de Barueri, o vereador Toninho Furlan (PMDB) discorda desse tipo de observação, e se classifica como um vereador consciente. "Já deixei bem claro que os bons projetos que beneficiem a população e a cidade, têm o meu voto favorável", esclarece.

A declaração foi feita durante a sessão de terça-feira, 16, ao Diário da Região, depois da discussão do projeto que viabiliza a doação de um espaço à Igreja Adventista para desenvolver projetos sociais.

Toninho Furlan foi favorável à propositura. "Eu, por exemplo, não seria capaz de votar contra um projeto como esse. Isso não é oposição, isso é ser um vereador consciente", acrescenta.
Nas sessões realizadas neste ano, Toninho Furlan divergiu de duas propostas do Executivo, curiosamente, ambas iniciativas do ex-vereador Agnério Néri (PT). A primeira foi o veto a um Projeto de Lei que consistia na inclusão de espaços em ônibus para coleta de materiais como pilhas, baterias de celulares, entre outros, para reciclagem. O projeto do petista foi considerado inconstitucional devido à criação de despesas para a empresa e ao município.

Outro que deu o que falar foi a revogação de uma lei que nunca chegou a ser aplicada de fato na cidade, mas que instituiria a obrigatoriedade de placas indicativas em obras públicas municipais. Na ocasião, o vereador e líder do governo na Câmara, Carlinhos do Açougue (DEM), questionou o posicionamento de Toninho Furlan e relembrou que a gestão anterior não colaborou para nenhum tipo de transparência.

Ambos renderam muito bate-boca na Câmara, os ânimos se exaltaram, mas apesar disso, a base aliada ao prefeito prevaleceu. "Foram esses dois projetos que votei contrário, o restante, foi voto favorável", justifica Furlan.

A respeito da visita de Gil Arantes à Casa em 9 de abril e sua declaração de que conta com todo apoio do Legislativo, o parlamentar peemedebista explanou: "Por isso, ele [Gil] disse que a relação do Executivo com o Legislativo está boa. Está boa porque sou um vereador que vota consciente e não trago prejuízo para a administração", afirma.

Sobre os 100 dias da nova gestão, Toninho Furlan acredita que ainda é muito cedo para avaliar.

Segundo ele, as áreas mais delicadas são Saúde e Educação. "Como podemos perceber, não atirei pedras nesses dois segmentos porque sei que a administração é muito recente. A troca dos secretários envolve, às vezes, uma questão de ego. Porque pode acontecer de eles barrarem projetos anteriores e recomeçar alguma coisa nova. Mas não atiro pedras porque estou deixando eles trabalharem para se 'encontrarem'. A hora que der um determinado tempo, como 10 meses ou um ano e a coisa ficar ruim, aí sim eu vou criticar", avisa o vereador.