Ministra Eleonora Menicucci pede a criação de Secretaria da Mulher em Osasco


Representantes de secretarias e coordenadorias de diversas cidades do estado que lutam pelos direitos das mulheres estiveram reunidas na tarde de ontem em Osasco para um evento com a ministra Eleonora Menicucci, responsável peal Secretaria de Políticas para Mulheres, do governo federal. A convite do próprio prefeito Jorge Lapas, Eleonora destacou que a Secretaria vai manter e ampliar convênios com o município para a cidade se tornar referência no quesito de políticas públicas em prol do público feminino.

Para a ministra, um dos frutos bem-sucedidos da parceria com a prefeitura foi a implantação do Centro de Referência da Mulher Vítima da Violência, mantido há quase oito anos. Para ela, o local é um instrumento fundamental no qual as munícipes podem contar sem medo de fazer as denúncias de mal-tratos. A representante do governo federal também frisou que o espaço não beneficia somente Osasco, mas aos municípios próximos.

Porém, o pedido especial foi pela implantação de uma secretaria voltada ao tema em Osasco. “Uma coordenadoria é fundamental, mas sozinha não dá conta. Como ministra, tenho andado pelo Brasil para dizer que as políticas de enfrentamento [à violência contra a mulher] não darão conta de serem implantadas se não houver uma secretaria das mulheres na coordenação de programas. Uma secretaria tem recursos humanos e financeiros próprios, e isso é fundamental. Tenho certeza que até o final do seu mandato, essa secretaria será criada”, disse a ministra olhando diretamente ao prefeito. 
Por sua vez, Jorge Lapas não deu o sinal verde. O prefeito osasquense explica que o pedido será analisado com atenção, mas não descarta a hipótese. “É uma coisa que estamos pensando. Temos dificuldades de criar novas secretarias e novos cargos, mas foi um pedido que ela trouxe e vamos avaliar”, admite.

Outra novidade revelada por Lapas é a possibilidade de transferências de mais recursos na área. “Estamos trabalhando com a possibilidade de abrir abrigos para mulheres vítimas de violência. Talvez não só com a nossa cidade, mas por meio de um consórcio regional o qual estamos trabalhando junto com os outros prefeitos”, anima-se. Além do mais, é possível que novas campanhas para o setor sejam realizadas daqui para frente. “A ministra está acenando para a possibilidade de recursos para campanhas para alertar sobre a violência contra a mulher, além de campanhas salariais para equiparar com o dos homens”, complementou Jorge Lapas.