“A cidade estava um caos”, desabafa prefeito Gil Arantes durante coletiva


Ele falou sobre o processo de transição do governo Rubens Furlan ao atual e se mostrou insatisfeito 

Embora o prefeito de Barueri, Gil Arantes, evite fazer declarações sobre a administração anterior, na coletiva realizada na manhã de quinta-feira, 25, o gestor fez algumas observações sobre o processo de transição de governo, realizado no final do ano passado. 


“Minha maior preocupação era a Saúde. Chegamos aqui encontramos uma cidade que estava o caos, abandonada. As ruas com entulhos, esburacadas, tivemos que fazer rapidamente um trabalho de conservação na cidade. Começamos a verificar o que poderíamos implantar rapidamente na Saúde, para colocar um choque, fizemos alterações, colocamos Farmácia 24 horas”, situou o prefeito barueriense. 



Além dos pontos citados, Gil também desabafou sobre o processo de transição do governo Rubens Furlan ao atual, e se mostrou visivelmente insatisfeito. 


“Todo mundo sabe como é feita a transição, só se mostra o que interessa. E a transição foi feita só para fazer de conta que houve, a realidade só passamos a ter conhecimento a partir do dia 2 de janeiro. Não adianta levar tudo a público, a população viu a cidade abandonada, sistema médico abandonado, a farmácia sem nenhum remédio, prateleiras da farmácia vazias”, listou o prefeito a respeito da fragilidade do governo anterior.

Outro setor abordado por Gil foi a Educação. Além de comentar sobre salas de aulas sem condições para receber os alunos, o administrador lembrou que a gestão passada não fez a licitação para fabricar os uniformes escolares a tempo. 


Gil revelou o esforço de sua administração para entregar antes da conclusão do primeiro semestre.

 “Os governos anteriores entregavam 15%, 10% [dos uniformes]. Só que é uma compra de mais de R$ 20 milhões, e tivemos que assumir, preparar licitação, e tem toda uma burocracia que a lei exige, por isso não dava para entregar os uniformes antes de fevereiro”, explanou.

“Assumimos dia 1º, mas entramos no dia 2 de janeiro, e foi a partir daí, que as coisas começaram a acontecer, então, leva um tempo para se chegar ao ponto que estamos chegando hoje, que é fazer a integração de todos os ônibus de Barueri”, disse o prefeito a respeito da implantação do programa Tarifa Cidadã, na qual o usuário utiliza ônibus municipais por um período e paga apenas uma passagem.