Obras e serviços descontinuados refletem derrota de Zicardi



Medicamentos em falta, horários reduzidos no funcionamento de vários serviços, suspensão de pagamento de horas extras para médicos e guardas municipais, paralisação de obras e suspensão na compra de materiais são apenas algumas das consequências do resultado da eleição de 7 de outubro em Barueri. Carlos Zicardi (PMDB), candidato do prefeito Rubens Furlan (PMDB), foi derrotado por Gil Arantes (DEM).

A cidade que era modelo de eficiência na limpeza pública falhou no recolhimento dos milhões de santinhos acumulados principalmente nas ruas de acesso aos locais de votação. A prefeitura precisou de duas semanas para fazer o que antes fazia em dois ou três dias.
Mas a derrota do candidato apoiado pelo prefeito ausente Rubens Furlan já causou pelo menos uma baixa. O secretário de Saúde Maurício Tundisi preferiu retomar o cargo de médico concursado e deixar o primeiro escalão do governo. O expediente da Secretaria, por enquanto, está sob a responsabilidade da chefe de gabinete de Tundisi. Há notícias de que ela seja nomeada para a Pasta.


Na Farmácia Municipal medicamentos para diabetes e hipertensão, por exemplo, não são mais encontrados. “Realmente estamos com falta de alguns itens”, disse uma funcionária visivelmente amedrontada e que desligou o telefone ao perceber tratar-se de uma reportagem. “Por favor, não sei de nada”. A Farmácia, antes vinculada à Secretaria da Saúde, passou para o comando de Zicardi, então o secretário de Gestão, Planejamento e Transportes pois fazia parte da estratégia de sua pré-campanha à prefeitura.


Demissões também começaram a ocorrer. Muitos dos demitidos fazem parte do lote de contratados no último ano, como parte dos acordos para a formação das coligações e candidaturas ao legislativo.Semana passada diversos secretários foram chamados à sede da prefeitura para uma reunião com a secretária de Finanças, Geanete Resende da Silva. Ela queria apenas comunicar que todos os novos contratos e compras estavam suspensos. Coisa que poderia ter sido feita meses antes, mas que se retardou ao máximo para não prejudicar o desempenho do candidato da máquina.
Livros de Natal foram cortados


Antes do feriado de sexta-feira, circulavam rumores de que diversos serviços oferecidos pela prefeitura seriam diminuídos e que até as crianças da cidade estavam ameaçadas de não receberem os brinquedos de Natal. “Não é verdade. Cortaram os livros, mas os brinquedos não”, comentou uma funcionária. 
Nos últimos dois anos, livros infantis foram acrescentados aos presentes de Natal distribuídos pela prefeitura de Barueri para todas as crianças da cidade. Os brinquedos pelo visto serão mantidos; os livros foram cortados.