Assis diz que Fla deve R$ 4,8 milhões a Ronaldinho e sobe o tom em cobranças



A novela envolvendo o pagamento dos salários de Ronaldinho está cada vez mais longe de um final feliz. Após notificar o Flamengo pelo atraso nos vencimentos de seu irmão, o empresário Roberto Assis não gostou de saber que o clube afirmou que só devia dois meses ao jogador, subiu o tom nas cobranças ao rubro-negro e garantiu que o craque não vê a cor do dinheiro há quatro meses, o que totaliza uma dívida de R$ 4,8 milhões.
"Antes de qualquer coisa, quem falou que são apenas dois meses? O clube já não paga o Ronaldo há quatro meses. Soma o salário dele e vê quanto dá isso. É um dinheiro alto. E além disso, ao contrário do que eles andam dizendo, não fizemos nenhum tipo de acordo em relação a isso. Sigo esperando uma posição oficial do clube após a carta que mandei", disse Assis, que ainda reclamou de outras coisas, como o fato do Flamengo ter vazado as cobranças sobre os atrasados de Ronaldinho.
"É complicado entender o Flamengo. Eles não têm tempo para resolver o pagamento do jogador, mas tem tempo de passar à imprensa a notificação que fiz pelos atrasados. Eu procuro ter paciência para resolver os assuntos, mas há uma tolerância. Sigo monitorando o que a diretoria tem a me dizer. Eles garantem que estão perto de fechar com um patrocinador master e que as dívidas serão pagas. Vamos aguardar. Mais uma vez", salientou o impaciente irmão e empresário de Ronaldinho, deixando claro a insatisfação por mais um problema nos pagamentos do jogador.
Fla diz que culpa é da Traffic
Enquanto vê as duras cobranças de Assis pela imprensa, o Flamengo tenta abafar o caso internamente e procura justificativas externas para a dívida, se eximindo de qualquer culpa. O vice presidente de relações externas, Walter Oaquim, lamentou a falta de pagamentos e disse que a culpa pelo atraso ainda é da Traffic. "Tivemos muitos problemas naquela época da Traffic e isso nos atrapalha até hoje. Pagamos uma parcela muito grande de uma só vez. Estamos tentando resolver, mas não é fácil", disse o dirigente, em entrevista à Rádio Brasil.
Enquanto assiste aos discursos contraditórios de Assis e da diretoria do Flamengo, Ronaldinho tenta passar longe do problema e se concentrar nos trabalhos dentro do campo. Na tarde desta segunda-feira, ele se reapresenta junto com os demais companheiros no CT do Ninho do Urubu, em Vargem Grande, zona oeste do Rio, para iniciar mais uma semana de treinamentos nas "férias forçadas" do time.
Foto: VIPCOMM