“Não há hipótese de apoiar o Furlan”, diz Emidio



Eduardo Metroviche
Prefeito durante evento no Teatro Municipal na segunda-feira, 27 
 
Fernando Augusto

O Partido dos Trabalhadores deve ter candidatura própria em Barueri ou se aliar ao pré-candidato Gil Arantes, do DEM. A opinião é do prefeito de Osasco, Emidio de Souza (PT), que nega a possibilidade de uma aliança com o PMDB, partido capitaneado na cidade pelo prefeito Rubens Furlan e seu indicado para a sucessão municipal, Carlos Zicardi.

“Não vejo qualquer possibilidade de aproximação porque o PMDB em Barueri é o Furlan. Ele sempre fez o papel de anti-PT e anti-Lula na nossa região. É um caminho que ele escolheu e tem que ser coerente com isso”, disse Emidio ao Visão Oeste nesta semana.

Há duas semanas circulou a informação de que uma aliança de PT e PMDB em Barueri estaria sendo costurada entre a direção estadual petista e o vice-presidente da República, Michel Temer.


Um dos membros do diretório do PT em Barueri, o advogado Baltazar Rosa diz que conversas nesse sentido não acontecem na região. Ele trabalha por uma coligação com Gil Arantes, mas reconhece que devido à resolução nacional do PT, a aliança seria dificultada. “Eles (direção estadual) podem vetar coligação com o DEM, mas impor uma coligação com outro partido, acho difícil”, diz.

Candidatura
Devido às dificuldades para compor com o DEM e o mal estar que uma negociação com Rubens Furlan pode gerar, o PT pode caminhar para uma candidatura própria em Barueri.


Pela primeira vez o partido desempenha papel potencialmente decisivo na campanha municipal. Enquete divulgada dia 14 mostra que um candidato petista pode levar a eleição para o segundo turno, já que agora Barueri tem mais de 200 mil eleitores.


Nesse caso, o partido teria três nomes à disposição: o próprio Baltazar Rosa, o vereador Agnério Neri e a Pastora Elizabeth Dutra, novidade do PT neste ano eleitoral.

Apoio de Kassab a Serra não influenciaria em Osasco

Em Osasco, a expectativa é pelo rumo do PSD. O partido criado pelo prefeito da Capital, Gilberto Kassab, é liderado na cidade pelo vereador Osvaldo Vergínio e por Lau Alencar. Os dois reiteram que a pré-candidatura a prefeito de Vergínio será lançada em março.


No entanto, notícias que circulam na imprensa e conversas com petistas revelam que prosseguem as negociações para que PSD e PT caminhem juntos na eleição deste ano em Osasco.

Nesta semana, o ex-governador José Serra (PSDB) confirmou sua intenção de concorrer à prefeitura da Capital e recebeu imediatamente o apoio de Kassab.

Mas por aqui as coisas não mudam, diz o prefeito Emidio de Souza (PT): “O prefeito Kassab já me disse que o que acontece em São Paulo não atrapalha o caminho de aproximação que o PSD vem tendo com o PT nas demais cidades. Em São Paulo ele tinha um compromisso pessoal com o Serra e vai cumprir. Continuamos conversando com o vereador Osvaldo Vergínio”, revela.