Osasco recebe engenheiro da Microsoft e estuda implantar software educacional



O engenheiro recomenda que os professores estimulem os alunos a se interessar por um determinado assunto 

O Centro de Formação de Professores de Osasco recebeu, na quarta-feira, dia 25 de janeiro, o engenheiro e educador britânico, Mike Lloyd, diretor de soluções educacionais da Microsoft Corporation. Ele participou de uma palestra com profissionais da educação da rede municipal, e discursou sobre como tornar o sistema de ensino mais eficaz por meio da tecnologia.

Lloyd desembarcou em Osasco para estudar a viabilidade de implementação de novas técnicas metodológicas na Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) João Campestrini, única escola pública selecionada no Brasil para o programa “Escolas Inovadores”. O programa elege escolas de todo o mundo, que visam criar e reproduzir uma transformação na educação e que tenham poder de influenciar outras escolas.

Na opinião de Lloyd, “os gastos com educação estão ultrapassando seus resultados”. A implantação de um software educacional poderia reverter essa situação. Para isso, o engenheiro recomenda estudar como o software pode acelerar o processo de aprendizagem; como empregar o software na tomada de decisões; e como explorar o cloud-computing (computação em nuvem) para fornecer resultados, em grande escala, mais baratos, com soluções de aprendizagem de alta qualidade.

A secretária de Educação de Osasco, Mazé Favarão, comentou que a Emef João Campestrini está no caminho para se tornar uma escola mentora. “Tentaremos quebrar paradigmas, alterar posturas em sala de aula e convidar o professor a adotar novas metodologias. Queremos disseminar experiências bem sucedidas para outras escolas, de um modo que o ensino seja cada vez mais eficaz e consistente”, revelou.

O engenheiro recomenda que os professores estimulem os alunos a pesquisar e a se interessar por um determinado assunto que se pretende trabalhar. “Com os conceitos reunidos, os estudantes devem ser capazes de assimilar esse conteúdo e criar significação de acordo com suas realidades. Em seguida, eles devem estar aptos para apresentar o que entenderam, da maneira mais livre e criativa possível. Os professores também devem estar capacitados para avaliar e entender seus interesses e áreas de estudo de aderência”, explicou.

A vinda de Lloyd para o Brasil é fruto da viagem do prefeito Emidio de Souza, e sua comitiva, para Londres, entre os dias 7 e 17 de janeiro, como parte do “Programa Aprender”, desenvolvido pela Microsoft, em parceria com a prefeitura de Osasco.