Mais três organizadas são banidas dos estádios de SP


A Torcida Jovem e a Sangue Jovem, duas organizadas do Santos que brigaram entre si no clássico contra o Corinthians, no domingo, estão proibidas de entrar nos estádios paulistas. A decisão foi tomada na quinta-feira pela Federação Paulista de Futebol (FPF).
Além das duas torcidas santistas, a FPF também proibiu, na quarta, a entrada nos estádios de São Paulo da Torcida Jovem do Penapolense, que, segundo relatos da Polícia Militar, entrou em conflito com torcedores do Linense na semana passada.
Essas decisões ocorrem menos de um mês após outra organizada, a Mancha Alviverde, do Palmeiras, também ser proibida de entrar nas arenas paulistas por brigas em Presidente Prudente, no último jogo contra o Corinthians.






















Torcedores do Palmeiras são cercados por PMs antes do clássico com o Corinthians, em Prudente
Torcedores do Palmeiras são cercados por PMs antes do clássico com o Corinthians, em Prudente

"Vamos fazer tudo o que podemos contra os marginais que estão infiltrados dentro das organizadas", argumenta Marco Polo Del Nero, presidente da FPF. Porém o cartola ressalta que a entidade que dirige não considera que todos os integrantes das organizadas são "bandidos".
A punição às torcidas santistas e do Penapolense foi baseada na documentação enviada pelas polícias que atuavam nos jogos. Os relatos dizem que, na partida do Santos, as organizadas resistiram à atuação policial. E, do Penapolense, é dito que um policial sofreu "lesão corporal" ao tentar intervir na briga com a torcida rival.
Contatadas pela reportagem na quinta, tanto a Torcida Jovem como a Sangue Jovem, ambas santistas, afirmaram que não haviam sido informadas sobre a punição.
"Já era esperado que algo acontecesse. Isso [a punição] já aconteceu no Paulista, quando fomos punidos por três jogos, e revertemos", relata Marcos Badures, advogado da Torcida Jovem.
Paulo "Massa", vice-presidente da Sangue Jovem, afirma que nada mudará a atuação da organizada nos estádios. "Eles [federação paulista] podem proibir. Não muda nada. Vamos sem camisa, de bermuda", argumenta.
As duas organizadas, no entanto, deverão entrar com recurso na federação paulista para revogar a decisão.
Segundo relatos de integrantes das torcidas, o conflito entre os torcedores foi causado por disputa de espaço para faixas e bandeiras --ambas ficaram juntas no Pacaembu em lugar destinado à torcida visitante.
PUBLICIDADE