Vigilância sanitária interdita Hospital Montreal em Osasco


O Hospital Montreal, no Centro de Osasco, foi interditado ontem pela Vigilância Sanitária Municipal por falta de higiene, carência de funcionários e condições precárias de equipamentos. Na tarde de ontem, médicos e técnicos do órgão da Prefeitura de Osasco estiveram na unidade da rua Padre Damaso, com uma ordem de interdição cautelar da UTI e do pronto-socorro.

Segundo a coordenadora do Grupo Técnico de Vigilância Sanitária, Marta Cristina França Camilo, o hospital é alvo de fiscalizações desde 2001. “Existem problemas reincidentes. A higiene é muito ruim. Os quartos têm mofo, pisos em péssimas condições. Os pacientes relatam que não têm enxoval de cama e alguns trazem a própria toalha de banho”, comentou.

A médica contou à reportagem que o setor de tomografia do hospital está repleto de pulgas e fezes de ratos. Apesar de o setor estar fechado por determinação judicial, Camilo teme que o problema se dissemine por outros departamentos do hospital.

A mãe de um paciente que havia acabado de ser liberado do hospital contou que ficou insatisfeita com as condições de higiene e de estrutura. “Percebi que havia muitos equipamentos obsoletos. Além disso, a equipe da higiene falha e a limpeza deixa a desejar”, relatou.

A Vigilância Sanitária proibiu que a unidade receba novos pacientes, e determinou que ela mantenha o tratamento de seus 43 pacientes internados, até que eles recebam alta médica. Em alguns casos, os pacientes poderão ser transferidos para outros hospitais.

O hospital possui o prazo de 10 dias para recorrer da decisão, caso consiga reverter as condições de atendimento médico. A equipe da Vigilância deve acompanhar diariamente o movimento do hospital, para fiscalizar o cumprimento da decisão. Caso o hospital desrespeite a decisão, ele estará sujeito à multa e bloqueio das portas.